04/03/14

Flor de Sangue, de Valentim Magalhães

 Flor de Sangue, de Valentim Magalhães
Para baixar este livro gratuitamente em formato PDF, acessar o site  do “Projeto Livro Livre”: http://www.projetolivrolivre.com/
(
Download)
Os livros estão em ordem alfabética: AUTOR/TÍTULO (coluna à esquerda) e TÍTULO/AUTOR (coluna à direita).



----
Biografia de Valentim Magalhães

Antonio Valentim da Costa Magalhães (1859-1903) foi poeta, jornalista, escritor e membro fundador da Academia Brasileira de Letras.

Nasceu no Rio de Janeiro e cursou o ensino superior em São Paulo, onde se diplomou em 1881 pela Faculdade de Direito. Ali iniciou a sua agitada vida de escritor, boêmio e jornalista. Fundou vários jornais em São Paulo, colaborou em numerosas publicações literárias daquela cidade e do Rio de Janeiro. De volta ao Rio, já formado, ingressou no jornalismo. Dirigiu A Semana, cujo primeiro número surgiu em 1885, que se tornou o baluarte literário dos jovens de então. Além de literatura, o periódico fazia propaganda da Abolição e da República. Quase todos os que, mais tarde, teriam algum papel nas letras brasileiras — e que então começavam — colaboraram naquele periódico. Segundo Astrojildo Pereira, Valentim representou no seu tempo um papel de certo relevo como crítico literário (Pereira, 1949).

A sua prosa (conto e romance, particularmente) foi atribuída por Silvio Romero ao "meio-naturalismo das cidades”. Nesse gênero, deixou Quadros e contos (1882), Vinte contos (1886), Flor de sangue, romance (1897), Horas alegres, novelas e narrativas (1898), entre outras. Entre suas obras de crítica e ensaísmo figuram Escritos e escritores (1889) e Literatura brasileira (1896), além de uma Filosofia de algibeira (1895). Como poeta, é arrolado entre os precursores do parnasianismo, em pleno período de reação contra os cânones românticos. Os seus principais títulos poéticos são Cantos e lutas (1879) e Rimário (Paris, 1900), nos quais há visíveis notas parnasianas. Teve uma conferência sua dada no Pedagogium publicada na Revista.


---
Fonte:
Ana Lúcia Cunha Fernandes (Faculdade de Educação – UFRJ. Doutora em Ciências Humanas – Educação (PUC-Rio) e em Ciências da Educação (Universidade de Lisboa): “O campo pedagógico no Brasil no final do século XIX: lugares, pessoas e instituições na construção de uma nova sociedade. XXVII Simposio Nacional de História, disponível em: http://snh2013.anpuh.org/

Nenhum comentário:

Postar um comentário