05/10/13

Dom Casmurro, de Machado de Assis (PDF)

 Dom Casmurro de Machado de Assis
Para baixar este livro gratuitamente em formato PDF, acessar o site  do “Projeto Livro Livre”: http://www.projetolivrolivre.com/
(Download)


Os livros estão em ordem alfabética: autor/título (coluna à esquerda) e título/autor (coluna à direita).

---

Resumo de "Dom Casmurro", de Machado de Assis




A habilidade de Machado de Assis em criar um clima de incerteza e ambigüidade atinge o ponto mais alto em Dom Casmurro, um de seus romances mais famosos. Para isso, valeu-se autor do foco narrativo em primeira pessoa, com o narrador-personagem Bentinho tentando reviver as emoções afetivas através da reconstituição do passado: “Vou deitar ao papel as reminiscências que me vieram vindo. Deste modo, viverei o que vivi”.

Assim, em retrospectiva, Bentinho (apelidado Dom Casmurro por viver recluso e solitário) resolve contar fatos de sua infância na casa da mãe viúva, D. Glória, ao lado do tio Cosme, da prima Justina, do agregado José Dias. Como vizinhos, Pádua e D. Fortunata, pais de Capitu, de condição social inferior.

A convivência e as brincadeiras vão aproximando Bentinho e Capitu; de simples amigos passam a namorados, durante a adolescência. A família dela, vendo nessa união a possibilidade de ascensão social, favorece o namoro; entretanto, a mãe de Bentinho, fiel a uma promessa antiga, coloca-o no seminário com o intuito de fazê-lo seguir a carreira eclesiástica.

Capitu empreende esforços para impedir que Bentinho, sem magoar a família, chegue a ordenar-se, revelando-se uma moça esperta e insinuante. Com a ajuda de Escobar, um colega de seminário, Bentinho encontra um modo de não ter de cumprir a promessa feita pela mãe e, depois de concluir o curso de Direito, casa-se com Capitu. A amizade com Escobar é fortalecida ainda mais, após o casamento deste com Sancha, amiga de Capitu. Os dois casais moram perto e tornam-se muito unidos.

Algum tempo depois, Escobar morre afogado no mar e, a partir da reação de Capitu, começa a nascer em Bentinho a suspeita de uma possível traição da mulher, que vai, pouco a pouco, se transformando em certeza à medida que seu filho, Ezequiel, cresce e adquire feições semelhantes às do ex-colega de seminário. Torturado pelo ciúme, Bentinho não consegue mais suportar a presença da mulher e do filho. Decide então se parar-se deles. Fazem uma viagem à Europa, onde ficam Capitu e Ezequiel. Após alguns anos, Capitu morre, sem ter revisto o marido. Ezequiel, já moço, faz uma única Visita a Bentinho no Brasil, morrendo pouco tempo depois.

Perdida a emoção que o empolgava e o impedia de perceber certas coisas, Bentinho, ao mesmo tempo em que narra, submete os fatos narrados a uma análise objetiva. À medida que a narrativa se desenvolve, os acontecimentos passados reconstituídos por Bentinho — se trazem à memória cenas felizes — não conseguem despertar as emoções correspondentes, Os trechos selecionados a seguir focalizam principalmente a personalidade de Capitu, uma das personagens mais fascinantes de Machado de Assis.

---
Fonte:
Douglas Tufano: Estudos de Língua e Literatura”, 3 edição. Editora Moderna. São Paulo, 1986.

Nenhum comentário:

Postar um comentário