22/01/14

Mundanismos, de Almachio Diniz

 Almachio Diniz - Mundanismos
Para baixar este livro gratuitamente em formato PDF, acessar o site  do “Projeto Livro Livre”: http://www.projetolivrolivre.com/
(
Download)
Os livros estão em ordem alfabética: AUTOR/TÍTULO (coluna à esquerda) e TÍTULO/AUTOR (coluna à direita).

---


Diniz era, além de jurista e jornalista, romancista e poeta, “[...] deixando 180 trabalhos, onde o talento anda a par da erudição”. Entre suas obras destaca-se o seu polêmico A carne de Jesus, de 1910, sobre o qual a acadêmica Edith da Gama e Abreu lançou um protesto, deixando escrito: “Foi esse livro o grande erro de Almáquio. [...] Só a pobre falibilidade do homem, na mesmice do irresponsável, levantaria outrora o patíbulo do Calvário, como talha hoje a cruz de um diagnóstico...”. (GAMA E ABREU, 1942, p. 152-153).

Avulta, como dos mais importantes relatos biográficos de Almáquio Diniz, o discurso de Gama e Abreu, que serve ainda para apontar os maiores reveses da existência do escritor, assim descritos: “E viu destruídas diante de si três grandes ambições, talvez as mais intensas: entrar na Academia Brasileira de Letras, ser catedrático da Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, representar seu Estado no Parlamento Nacional”. (GAMA E ABREU, 1942, p. 154).

--
Fonte:
Benedito Veiga: “O papel de Almachio Diniz”. In: Revista da Academia de Letras da Bahia, n. 49, dez. 2010 – Salvador: Academia de Letras da Bahia, 2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário