25/05/14

Não Errarás! Aprendendo Gramática com a Bíblia, de Iba Mendes

 Não Errarás! Aprendendo Gramática com Exemplos da Bíblia, de Iba Mendes
Para baixar este livro gratuitamente em formato PDF, acessar o site  do “Projeto Livro Livre”: http://www.projetolivrolivre.com/
(
Download)
Os livros estão em ordem alfabética: AUTOR/TÍTULO (coluna à esquerda) e TÍTULO/AUTOR (coluna à direita).

---


PREFÁCIO
Em sua belíssima crônica “O Gigolô das Palavras”, o escritor Fernando Veríssimo escreve que: “Respeitadas algumas regras básicas da Gramática, para evitar os vexames mais gritantes, as outras são dispensáveis...” E mais adiante ironiza: “A Gramática é o esqueleto da língua. Só predomina nas línguas mortas, e aí é de interesse restrito a necrólogos e professores de Latim, gente em geral pouco comunicativa.”
Não há dúvida de que a Gramática (a padronização do que se convenciona por certo e errado na língua) é, em si mesma, inócua e não reflete a realidade da comunicação entre as pessoas no seu dia-a-dia. No entanto, é preciso salientar que esta mesma Gramática, à mercê das opiniões contrárias, é decisiva para quem almeja ter êxito em concursos públicos, nas provas e exames (para conseguir emprego) e nos vestibulares (para ingresso nas universidades). Neste aspecto, a discussão linguística passa ao largo e também foge à realidade.
Eis aí o simples objetivo deste livro: esclarecer questões específicas da norma-padrão, as quais poderão ser de alguma utilidade para o fim acima salientado.
São textos escritos num estilo simples, coloquial, bem-humorado e sem aquele “gramatiquês” que torna o ensino da vertente padrão uma verdadeira chatice.
Valendo-me, principalmente de exemplos da Bíblia, procurei expor estas questões mediante um estilo simples e bastante coloquial. Embora apresente alguns termos específicos da chamada “norma culta”, evitei o quanto possível, a erudição e a linguagem rebuscada. Portanto, o que diferencia este dos demais livros de Gramática, é o caráter exclusivamente coloquial que nele impregnei.
Se de algum modo servir para o fim proposto, dou por cumprido meu objetivo. Do contrário, dou-me ainda por satisfeito apenas por ter tentar fazê-lo. Seja como for, satisfaço-me, muito mais do que pelos resultados, pela intenção, que pode não ser nobre, mas é sincera, e basta.

É isso!

Iba Mendes

Nenhum comentário:

Postar um comentário